ago 072020
 
Author Rating / Nota do Autor:

Baseado em fatos reais, “Fuga de Pretória” é mais um daqueles muito tensos e pouco emocionantes filmes de prisão e escape. O tema já e bem batido no cinema desde sempre, mas ainda assim se espera algo que venha a agregar a história. Ainda mais baseando-se em fatos reais e trazendo um elenco de respeito e cuidadosamente escolhido com Daniel Radcliffe (o eterno H.Potter), o versátil Daniel Webber e atores secundários (mas não menos importantes) como Ian Hart e Mark Leonard Winter. O tema de fundo e mote inicial da película vem com a luta incessante contra o “Apartheid“: regime de segregação racial implantado na África do Sul em 1948, motivo pelo qual os protagonistas lutaram até serem presos e julgados.

A caracterização de época é bastante impressionante e faz realmente colocar o espectador frente as mazelas da época cruel (e até pouco tempo) aceitável não só na África mas em grande parte do mundo, da radicalização e racismo explícitos. A luta do ANC (grupo de Nelson Mandela) contra os estragos causados pela estupidez humana são mostrados de forma bastante rápida, mas não menos contundente, fazendo com que a parte mais claustrofóbica e interessante fique com a concretização do plano de fuga. A idealização e a parte histórica de luta e contra opressão foram pouco citados deixando a ação e o suspense sobressaírem-se perante o drama proposto inicialmente. O roteiro é bastante eloquente na apresentação de personagens e fazendo o público entender suas motivações para os atos terroristas, porém apenas a apresentação e não o viés ideológico acabam por não completar aquilo que talvez se busque em um filme de drama (ainda que esteja classificado como “thriller“). Cinematograficamente existe pouco a acrescentar, ainda que os curtos planos-sequência e closes tenham bastante êxito naquilo que se propõe. Alguns “takes” mais significativos, como câmera girando nos sentidos das chaves em portas de cela ou ainda fechaduras sendo expostas internamente, fazem uma pequena diferença no todo mas não tem uma valorização suficiente para destaque no todo.

Então “Fuga de Pretória” acaba cumprindo o que se propõe, mostrando a batida em retirada e a maneira a qual ela se dá na prisão africana. Quem espera (ou compra) a ideia de uma película com uma história mais engajada politicamente ou trazendo historicidade aos fatos acaba enganando-se. Busque um filme de ação ou suspense quando assistir tendo assim uma diversão e um entretenimento que valem a pena em pouco mais de uma hora e meia de cinema.