out 212015
 
Author Rating / Nota do Autor:

Cinezone Poster - The Martian

 

Em mais uma das muitas missões enviadas ao planeta Marte, a equipe da Ares III tem problemas devido a uma tempestade inesperada. Com o perigo iminente de perder a espaçonave e talvez toda a tripulação, a decisão de partida e abortar a missão se tornam necessárias. Em vias de deixar o planeta, um acidente ocorre: uma das partes da nave atinge gravemente o astronauta Mark Watney que, dado como morto, é deixado para trás. Porém Mark está vivo, muito ferido e talvez o pior: sozinho.

O diretor Ridley Scott é muito conhecido justamente por sua experiência em filmes sci-fi, tendo como expoentes o clássico “Blade Runner” e o sombrio “Alien” (filme que deflagrou a onda de monstros extraterrenos persistente até hoje) e ainda sua frustrada tentativa de prequel em “Prometheus”. Porém desta vez ele surpreende público e crítica indo na contramão da indústria cinematográfica, fazendo um filme mais “simpático” utilizando cores mais claras e mais softs, ou ainda as vezes sendo até muito bem humorado. O ator Matt Damon encaixa-se no perfil desejado para o papel uma vez que já esteve isolado em outras situações como “O Resgate do Soldado Ryan” sendo que em algumas consegue fazer também a “Trilogia Bourne” trabalhando perfeitamente sozinho: ele consegue ficar muito a vontade (e as vezes até debochar) da situação onde seu protagonista se encontra.

Pegando o gancho de Damon, a trilha sonora é um deleite a parte para quem gosta do som dos anos setenta como Bee Gees, Donna Summer, Gloria Gaynor, Abba e no momento apropriado David Bowie encontra em pleno espaço a clássica “Starman”.

Outra observação importante a ser feita (spoiler) são as possíveis gafes (goofs) da produção no que se refere ao que é feito no espaço, a exemplo da plantação de batatas feita por Mark: é perfeitamente possível. Desde a comunicação entre os planetas, efeitos especiais na sobrevivência dos astronautas até os acontecimentos com as naves, foram pesquisados na própria NASA para que nenhum dado pudesse ser dado como inverossímil. Inclusive a própria reconstituição do planeta Marte feita pela produção de Ridley Scott foi concebida por especialistas como a mais perfeita feita até hoje…

No contexto geral “Perdido em Marte” se faz um filme bastante interessante na questão cinematográfica, pois acaba por buscar boa parte dos críticos tanto quanto ao público que apenas procura entretenimento. Se for assistir nas salas de exibição em qualquer cinema, espere um público bastante compenetrado e salas lotadas.

 

Título Original: “The Martian”

Direção: Ridley Scott

 

out 072015
 
Author Rating / Nota do Autor:

Cinezone Poster - Everest

 

Não há dúvidas da incredulidade do público ao encarar as filas de cinema para assistir “Everest”: com um tema bastante corriqueiro em filmes de ação na neve, (Risco Total / Limite Vertical) e a idéia de apenas mais blockbuster nas telas. Baseado em personagens reais e fatos verídicos acontecidos em 1996, a história conta os fatos trágicos acontecidos durante a escalada de um grupo com experientes alpinistas, a um dos pontos mais altos do planeta terra. O filme apresentado por Baltasar Kormákur  é competente no que se destina. Vai longe. Mas não muito.

A iniciativa de contar uma história baseada em fatos reais pode ser perigosa para muitos roteiristas, uma vez que lacunas no roteiro podem ser irreparáveis tanto para aqueles que são caracterizados pelos escritores como para a ambientação (locações). Em determinados momentos de “Everest” esta estranheza é notada, por exemplo no rosto dos atores que não estão maltratados pelo clima gélido, ou pelas roupas de grife usadas pelos andarilhos locais, ou ainda mesmo pelos “cromaquis” (ou chroma key) usados nas cenas de ação: para os fotógrafos trabalhar branco do gelo é infernal, uma vez que a câmera seguidamente é enganada pelos reflexos.

Depois de uma hora o filme já torna-se cansativo e talvez até moroso. O que salva a obra de forma geral é a ótima atuação de grande parte do elenco, que não fica caricato em momento algum chegando até a emocionar os mais sensíveis. Também a semelhança de cada ator com os verdadeiros protagonistas traz bastante veracidade aos fatos. Nomes como Jason Clark (finalmente em um papel que faz valer sua falta de expressão), Josh Brolin (que consegue convencer bem), Jake Gyllenhaal, Keira Knightley (ótima), Sam Worthington (o eterno “Avatar”), Emily Watson (num apoio de peso) fazem valer.

Simplesmente, cumpre o que promete.

Link para o IMDb

 

Título Original: “Everest”

Direção: Baltasar Kormákur