O Tempo e o Vento (2013)

 Blogger, Daniel Arrieche, Drama  Comentários desativados em O Tempo e o Vento (2013)
set 302013
 
Author Rating / Nota do Autor:

o_tempo_e_o_vento

Sempre que se lê ou se assiste as obras de Érico Veríssimo, é chover no molhado. O acerto é inevitável, ainda mais quando a estréia se coloca no vinte de setembro: data máxima no estado do Rio Grande do Sul. A história fascinante dos Terra Cambará é contada de forma bastante lúcida e clara, retratando a mescla de história e fantasia relatada pelo original do autor: ainda que fracionada somente no tomo Continente. Na obra de Jayme Monjardim, “O Tempo e o Vento” tem início, meio e fim: contada de forma bastante fidedigna agrada em cheio ao público local e chega a emocionar quem sai uma vez por anos de seu pago para assistir a uma obra bairrista. Mas fato é que o diretor não inova, ainda que acerte muito na iluminação e tenha a fotografia como seu ponto forte, a obra vai morosamente mostrando que em pouco diverge de outras grandes obras do cinema nacional. A atuação do ator Tiago Lacerda não é exagerada e acaba convencendo como o anti-herói Capitão Rodrigo (outrora também muito bem feito por Tarcísio Meira), bem como a sempre bem Fernanda Montenegro. O diretor também se apega a atores gaúchos para que o elenco ganhe força e também busca Tabajara Ruas (que é um excelente montador) para o roteiro, mas não tenho certeza de que o filme irá emplacar em nível nacional… só as bilheterias dirão. O único detalhe é que a obra não consegue se desgarrar no tom novelesco global…

Link para o IMDb

Masters of Sex – Piloto

 Bruno Spotorno Domingues, Masters of Sex  Comentários desativados em Masters of Sex – Piloto
set 302013
 
Author Rating / Nota do Autor:

image-5

Série sobre “os pioneiros da ciência da sexualidade humana”, Masters of Sex parece  interessante até agora. É estranho ver o excelente Michael Sheen (o Tony Blair de The Queen e The Special Relationship ou ainda o David Frost em Frost/Nixon) sem seu sotaque Britânico, mas á sem dúvida um dos melhores atores Ingleses da atualidade (na verdade ele nasceu em Wales, mas tudo bem). Lizzy Caplan também está muito bem, este pode ser o papel que sua carreira precisa.

Link para o IMDb

The Crazy Ones – Piloto

 Bruno Spotorno Domingues, The Crazy Ones  Comentários desativados em The Crazy Ones – Piloto
set 302013
 
Author Rating / Nota do Autor:

the-crazy-ones-season-1-CBS-2013-poster

Robin Williams já foi um dos atores de comédia que eu mais gosto, mas já faz muito tempo que não consigo assistir nada que tenha ele como protagonista, já que ele é sempre o mesmo. Como eu formado em publicidade resolvi dar uma chance a ele em The Crazy Ones, apenas para ficar desapontado. Pelo menos até agora, depois de assistir o piloto, ele continua sendo o mesmo de sempre. Sarah Michelle Gellar (Buffy) é outra que que não vai bem. Outras centenas de atrizes poderiam fazer melhor o papel dela, mas não é um papel que faça tanta diferença. Por outro lado, James Wolk (Mad Men) está muito bem, talvez tenha nascido para séries que retratam a Propaganda. E a série parece ter muita verba de marcas, pois no piloto o foco no McDonalds é um tanto quanto exagerado.

Link para o IMDb

Oranges – A Filha do Meu Melhor Amigo (2011)

 Blogger, Comédia, Daniel Arrieche, Drama, Romance  Comentários desativados em Oranges – A Filha do Meu Melhor Amigo (2011)
set 302013
 
Author Rating / Nota do Autor:
the-oranges-poster1
Não é de admirar que Julian Farino tenha apenas dirigido seriados sem expressão, pois em “A Filha do Meu Melhor Amigo” (filme já lançado em 2011 lá fora e sem promoção alguma) não há diferente comoção. Aprendi a desconfiar, de quando um bom elenco é colocado em um filme sem apelo comercial, emotivo ou desdenhado de promocionais, não deslancha. A tentativa de um elenco maduro com Hugh Laurie (o ete…rno House) e Oliver Platt como os pais de duas famílias típicas, não faz muita diferença para um roteiro batido e com uma tentativa de comédia que não consegue alcançar sequer um singelo sorriso. Dirá gargalhadas. A presença de Leighton Meester em nada ajuda no papel de uma filha desgarrada, que volta para o seio da família. Não há nem ao menos um “sex appel” para cativar o público, ou ainda seduzir o próprio personagem. A narração é feita pelo personagem de Alia Shawkat que se traduz como água: inodora, insípida e incolor. Nem comédia, nem romântico, nem uma coisa nem outra. Nem mesmo pode ser chamado de descartável, pois ainda assim para esses, a embalagem ainda chama atenção…

Link para o IMDb

A Sorte em Suas Mãos (2012)

 Blogger, Comédia, Daniel Arrieche, Drama  Comentários desativados em A Sorte em Suas Mãos (2012)
set 302013
 
Author Rating / Nota do Autor:
poster_a_sorte_em_suas_maos
O músico Jorge Drexler surgiu para o mundo com a música “Al Otro Lado Del Rio” no filme “Diários de Motocicleta” e arrebatou o Oscar de melhor canção. Na entrega do prêmio, viu-se que algo a mais existia naquela figura que quebrou o protocolo da cerimônia e cantou frente a uma platéia de ilustres fatiotas embasbacados. Pois realmente ele é “o cara”, e prova mais uma vez em “A Sorte em Suas Mãos” interpretando um jogador compulsivo e conquistador barato. Uriel trabalha em uma casa de câmbio em Buenos Aires ao mesmo tempo que tem alguns ganhos extra com o carteado e aplicações financeiras, até que resolve que é hora de fazer uma vasectomia, uma vez que já mora sozinho com dois filhos pequenos. A viagem une o útil ao agradável: fará o procedimento em meio a um torneio de pôquer. Porém neste meio tempo reencontra a ex-namorada que pode ser (ou não) a mulher de sua vida. A única maneira de ganhar alguma coisa em toda sua estrada sempre foi com os blefes de cartas: porque agora seria diferente? O roteiro simples e inteligente nos remete a importância dos detalhes e que as pequenas coisas fazem uma grande diferença, e que as vezes contar com o imprevisível (e acreditar nele) é o que realmente vale a pena. Também as relações familiares são bastante focadas (tanto quanto os outros filmes do mesmo diretor) tanto quanto o amor pós-balzaquiano que acaba por emergir entre o casal. As relações paralelas e complicadas (ex-marido / filhos / mãe / colegas) fazem o contraponto da graça e o alicerce de opiniões, onde buscam entender o que realmente acontece em suas mentes e corações. Ainda assim, entre o turbilhão de informações e de trejeitos entre os bem montados personagens, e ainda de quebra conseguimos vislumbrar “La Trova”: o universo musical vindo da cidade de Rosário. Uma rara surpresa dentre tantos blockbusters sem sentido.

Elysium (2013)

 Blogger, Daniel Arrieche, Ficção Científica  Comentários desativados em Elysium (2013)
set 272013
 
Author Rating / Nota do Autor:

elysiumposter

São duas classes distintas: pobres que vivem em um submundo de drogas, altamente tatuados, proletários e operariado vivendo em uma cidade superpovoada sem direito a educação ou saúde e na maioria das vezes obrigados a trabalhar para prover a sobrevivência diária. Em outro patamar vive o dinheiro, a saúde imediata, empresários que podem pagar por suas monstruosas casas e um reino decente, cobertos por uma segurança eficiente e tendo assim os seus a seu alcance. Nenhuma novidade até aqui, uma vez que podemos simplesmente ficar na ponta dos pés e observar o que acontece do outro lado do muro. Nada além do que conhecemos. Porém o ano é 2154. Assim começa “Elysium“, o novo filme do diretor sul-africano Neill Blomkamp (que apareceu para os cinemas com “Distrito 9” e apadrinhado fortemente por Peter Jackson). O personagem central fica com Matt Damon que sofre um acidente letal e que resolve se revoltar contra o sistema em prol de uma vida única para ele e para os seus. A crítica social é fortíssima e de alguma forma você poderá se encontrar em algum personagem, ou ainda entender como o outro o vê. Mas não vamos muito além disso: a partir deste ponto nada muda muito do que conhecemos como filme de ficção científica. Fato é que temos a estréia excelente de Wagner Moura que desponta como uma espécie de coyote, tentando levar cidadãos a terra prometida, em troca de alguns favores e informações. A mídia internacional já alçou o ator brasileiro a astro (com justiça). Um filme que vale ser visto. Revisto. Com um olhar crítico se faz valer muito a pena.

Link para o IMDb

Sleepy Hollow (2013)

 Bruno Spotorno Domingues, Sleepy Hollow  Comentários desativados em Sleepy Hollow (2013)
set 262013
 
Author Rating / Nota do Autor:

Sleepy_Hollow_Serie_de_TV-279832324-large

O ator Inglês Tom Mison é Ichabod Crane, que veio da Inglaterra nos 1700 para ajudar George Washington em pessoa na revolução americana. O problema é que após cortar a cabeça de um inimigo bastante estranho, ele é ferido (pelo próprio inimigo em questão) e acorda 250 anos depois, em Sleepy Hollow, cidade com população de 144 mil. Acaba ficando parceiro de uma tenente local, Abbie (Nicole Beharie), para desvendar os mistérios daquele cavaleiro sem cabeça, que também acordou. A mulher de Crane, Katrina (a Suéca Katia Winter), está presa em um mundo entre mundos, pois é uma bruxa.

Depois do segundo episódio não senti ainda uma química entre os dois, mas Tom Mison está bem no papel. Parece ser uma série em que eles perseguirão um fenômeno diferente a cada episódio, com a história principal andando lentamente. Sem contar que Crane vai tentar liberar a amada esposa o tempo todo, e históricamente plots como esse acabam por se tornar cansativos.

Em geral, não gosto de séries em que cada episódio é uma coisa diferente. Exceto The Mentalist, claro.

Vamos esperar o melhor para a série.

Link para o IMDb

We are Men

 Bruno Spotorno Domingues, We are Men  Comentários desativados em We are Men
set 262013
 
Author Rating / Nota do Autor:

url

O jovem Carter (o não-tão-conhecido Chris Smith, Paranormal Activity 3) é abandonado no altar e vai morar em um “condomínio” de “apartamentos temporários” – que mais parece uma colônia de férias – e conhece Gil (Kal Penn, House, How I met your Mother), Frank (Tony Shalhoub, Monk) e Stuart (Jerry O’Connell, Stand by Me), três homens mais velhos com problemas similares: Gil foi pego traindo a mulher e acredita que ela voltará para ele; Frank já foi casado diversas vezes e Stuart depois de dois divórcios ainda está brigando pra manter algum de seus bens. Os três resolvem “adotar” Carter e ajudá-lo em sua nova vida.

O elenco é sensacional. Apesar de Smith não ter feito ainda muita coisa para que possa ser julgado como ator, os outros três parecem ter se entrosado muito bem e são homens completamente diferentes, mas a graça entre eles está em perfeita sintonia.

Claro que podemos esperar um romance entre Carter e Claire (Aya Cash), filha de Frank.

Link para o IMDb

Back in the Game

 Back in the Game, Bruno Spotorno Domingues  Comentários desativados em Back in the Game
set 262013
 
Author Rating / Nota do Autor:

url

Outra série média. Terry (Maggie Lawson, Psych) é ex-jogadora de softball que depois de um divórcio resolve voltar a morar com o pai, Terry “Canhão” (James Caan), levando junto seu filho Danny (Griffin Gluck). Danny se interessa por uma garota da escola que só namora jogadores de baseball e então decide jogar. O Canhão é doente por baseball mas o garoto é um fracasso e não é aceito no time da escola. Então Terry decide treinar o filho e outros garotos sem jeito para o esporte e pede ajuda ao pai, O Canhão, que foi um péssimo pai e ao que tudo indica é ainda pior como avô.

Todos os três estão muito bem em seus respectivos papéis, mas não acredito que o enredo vá prender muita gente.

Link para o IMDb

Trophy Wife

 Bruno Spotorno Domingues, Trophy Wife  Comentários desativados em Trophy Wife
set 262013
 
Author Rating / Nota do Autor:

Trophy_Wife-ABC-cast1

Quando decidi assistir o Piloto não estava levando muita fé. Resolvi dar uma chance por ter Malin Akerman (Watchmen e o excelente The Bang Bang Club) e Bradley Whitford (The West Wing) nos papéis principais. Na verdade a Sueca Malin Akerman é uma atriz razoável, mas Bradley Whitford fez um grande trabalho em The West Wing, uma pena não ver ele em papéis importantes por aí.

Confesso que gostei do piloto. Na série, Kate (Akerman) é a terceira esposa de Pete (Whitford) que tem três filhos com duas esposas anteriores. A primeira esposa é uma médica muito racional, mãe dos dois mais velhos (um menino e uma menina) e a segunda uma hippie maluca, mãe do garoto mais novo. Kate é bem mais nova mas se apaixonou por Pete e de certa forma por sua família. As ex-mulheres estão presentes no dia-a-dia do casal.

É preciso esperar pelos próximos episódios para saber melhor se será mais uma série média ou fará algum sucesso.

Gosto muito de Bert (Albert Tsai), o filho mais novo. Garoto bem engraçado.

Eu ri.

Link para o IMDb