Carrie (2013)

 Blogger, Daniel Arrieche, Suspense  Comentários desativados em Carrie (2013)
dez 172013
 
Author Rating / Nota do Autor:

carrie

 

Há quem diga que clássicos não devem ser mexidos, revirados ou revisitados. Há quem torça o nariz para os “remakes” ou para as novas tentativas de fazer com que mais do mesmo seja sucesso. Casos como as refilmagens de “A Morte do Demônio”, “Psicose” e “Footlose” nunca deveriam ter saído do papel pois além de não acrescentarem NADA a obra inicial, ainda ameaçam desmitificar um clássico que não por acaso fora colocado nas mãos de diretores certos como Sam Raimi e Hitchcock. No caso da refilmagem de “Carrie” (primeiro romance do mestre Stephen King) não é muito diferente… a história se repete: a adolescente que é moralmente atormentada e punida pela própria mãe para que siga conceitos religiosos e que acaba sofrendo bulling na escola pela falta de conhecimento. Porém a jovem tem um estranho poder de telecinese e que desenvolve contra aqueles que a oprimem. A atriz Chloe Grace Moretz (que foi escolhida claramente por sua atuação na versão americana de “Deixe Ela Entrar”) é bastante esforçada e ao lado da veterana Julianne Moore, mas não consegue convencer: como já li em outras críticas, ela mais parece uma X-Men ciente e abusando de seus dotes, do que como uma atormentada problemática. A Carrie White de 2013 não é oprimida. Este não é um filme de terror. Nem mesmo de suspense. É apenas uma história que não deve ser contada de novo.

Compare aqui as produções de 1976 e 2013.

Link para o IMDb

 

Uma Noite de Crime (2013)

 Blogger, Daniel Arrieche, Suspense  Comentários desativados em Uma Noite de Crime (2013)
nov 072013
 
Author Rating / Nota do Autor:

PurgePoster

Um filme digno de ser passado nas madrugadas da Band. Com uma boa idéia na cabeça e uma câmera na mão nem sempre se faz um bom filme. A premissa de uma noite onde tudo está liberado pela polícia para acontecer nos Estados Unidos (assassinatos, estupros, torturas, etc.) é o mote para a “renovação” e purificação dos cidadãos, onde o país está com a economia estável e o índice de violência fora desta data gira em torno de um por cento. Ethan Hawke é o pai de uma família que se lacra em casa esperando pelo pior, quando depois de uma série de acontecimentos é invadida por jovens sedentos de sangue. Porém o que era interessante fica pelo caminho… uma idéia jogada no lixo desde o roteiro até a execução. Pobre de movimentos e de ação onde as situações de escuridão e pânico poderiam fazer efeito, dão tédio.

Link para o IMDb

Os Suspeitos (2013)

 Blogger, Daniel Arrieche, Suspense  Comentários desativados em Os Suspeitos (2013)
out 222013
 
Author Rating / Nota do Autor:

Os-Suspeitos

Talvez o título equivocado dado no Brasil (como muitos outros) seja o único porém deste empolgante thriller de suspense sem precedentes: é a flor da pele a cada minuto e empolgante até o último segundo. O elenco de primeira qualidade já prenunciava um grande filme, porém havia receio que em uma obra de mais de duas horas pudesse almejar bocejos em alguns expectadores ou ainda tédio em determinados diálogos: NÃO! Vale cada centavo da exibição na telona. Em um dia de Ação de Graças nos Estados Unidos, duas meninas de famílias vizinhas desaparecem na tarde fria de um pacato bairro. O principal suspeito é o motorista de um trailer (Paul Dano) que não possui todas as faculdades mentais em perfeito estado, porém parece incapaz de maltratar qualquer ser. Sem provas ou qualquer vestígio das meninas, a polícia se vê na obrigação de solta-lo. Furioso com a ineficiência das autoridades, um dos pais (Hugh Jackman) resolve sequestra-lo e tortura-lo até descobrir onde estão as crianças. Mas em momento algum há certeza de nada. Nem dos pais, nem do paradeiro das crianças, nem mesmo se estão vivas… nem mesmo se o então preso tem alguma culpa. O diretor Denis Villeneuve conduz a trama com maestria e consegue em lances lentos de câmera captar cada detalhe, desde os rostos do impulsivo e excelente Keller Dover até as simbologias e piscadas metódicas do policial interpretado por Jake Gyllenhall. Mas a obra não é apenas técnica e abusa dos conceitos éticos e morais, onde talvez os fins possam modificar os meios: a tradução entre o certo e o errado, o impulso via de regra religiosa e a intencionalidade de fazer com que o público intensamente acredite… na dúvida. As relações entre pais e filhos / maridos e mulheres mostram em muito a fragilidade de um sistema familiar as vezes medieval, as vezes avançado demais para nossas falhas mentes humanas. Excelente!

Link para o IMDb

A Pele Que Habito (2011)

 Daniel Arrieche, Suspense  Comentários desativados em A Pele Que Habito (2011)
set 122013
 
Acredito que Pedro Almodovar é único. Muitas críticas ao seu novo estilo fora do drama que costuma apresentar com maestria. Pois o mestre não perdeu a baqueta, pelo contrário: a fez mágica e começa a expandir seu mundo particular pela ação e suspense. A apresentação dos personagens bem criados e as cores berrantes (marcas do diretor) nos fazem sempre acreditar que teremos um bom filme. Pois Antonio Banderas é um renomado cirurgião plástico que mantém em cárcere uma sósia perfeita de sua ex-mulher, morta em um acidente de carro. Mas por quanto tempo? E … porque ?! As silhuetas de caça e caçador, a síndrome de Frankenstein, misturando uma dualidade perplexa e complexa se refletem nas atitudes de cada um dos coadjuvantes onde a questão sexo, criação, incesto, genética e masculinidade trazem os mais ferinos diálogos representados sempre intimamente na decoração dos ambientes onde cada cena se apresenta. E mais uma vez o escancarado complexo edipiano de Almodovar é bolinado assim como em “Tudo Sobre Minha Mãe”, “Má Educação” e “Fale Com Ela”. Certamente é um dos grandes filmes que pretendo ter em minha videoteca particular… A história se repete. Mais uma vez Almodovar se faz bárbaro!

Não Tenha Medo do Escuro (2010)

 Daniel Arrieche, Suspense, Terror  Comentários desativados em Não Tenha Medo do Escuro (2010)
mar 122013
 
As vezes em meio a tanta tecnologia e Jason e Freddy Krueger que matam sem muito sentido, existe a falta daquele horror clássico e de um suspense muito bem feito. Ainda que não dirigido diretamente por Del Toro, ele nos traz em “Não Tenha Medo do Escuro” o medo e a aflição dos corpos já nas primeiras cenas (chocantes) em um enredo bem simples e nada original: novos compradores de uma casa mal assombrada resolvem habita-la sem conhecer exatamente a história do que ali já foi vivido. O casal Katie Holmes e Guy Pearce trazem a tiracolo a pequena Bailee Madison (que chega a ser tétrica em alguns momentos) que aparenta sérios problemas de adaptação e também algum transtorno mental. Mas o fato é que os sustos são iminentes a cada segundo, juntamente com a música e as tomadas rápidas o filme vai melhorando a cada passo e derradeiramente nos levando ao desconhecido. Ou nem tanto. Faz tempo que não via tanta gente pular tão alto das cadeiras no cinema, e gritar tão freneticamente. Observe na saída da sessão os comentários e rostos daqueles que acabaram de passar por essa boa experiência.

Sem Saída (2011)

 Ação, Daniel Arrieche, Suspense  Comentários desativados em Sem Saída (2011)
nov 142011
 

O astro de “Crepúsculo” tenta a sua sorte em filmes de ação. Taylor Lautner faz um adolescente que encontra sua foto e um site de crianças desaparecidas, e resolve investigar entrando em uma série de perseguições sem sentido com a CIA, a máfia sérvia e seu próprio pai. Conforme outras críticas, o ator não consegue desvincular a imagem de lobisomem juvenil, e mais parece um Alex Rider anablizado do que uma tentativa de “Bourne”. A inteligência da produção em coloca-lo entre ícones como Alfred Molina e Sigourney Weaver ameniza o frisson de filme “teen”, mas ainda assim o protagonista não se ajuda, juntamente com a inexpressiva namorada monocelha. Nas cadeiras do cinema o tempo inteiro se escutava a pergunta: “Pai. que horas ele vai se transformar?” Na minha opinião ainda falta muito. Mesmo. Literalmente um passatempo.

Super 8 (2011)

 Daniel Arrieche, Ficção Científica, Mistério, Suspense  Comentários desativados em Super 8 (2011)
nov 092011
 

Já não se faz mais filmes como antigamente. É o que diria se não fosse o melhor flme que assisti esse ano: “Super 8”. E quem diria, feito pelo ex-Lost J.J. Abrams e pelo eterno Steven Spielberg. O filme é pura nostalgia, com toques de mágica e de lembranças oitentistas, uma verdadeira homenagem ao cinema feito com roteiro, direção, fotografia, arte, verossimilhança, entusiasmo, e o melhor de tudo: amor a sétima arte. O roteirista e diretor conseguiu trazer de volta a emotividade e o desprendimento em uma excelente diversão, juntando “Os Goonies”, “ET”, “De Volta Para o Futuro (Zemeckis)”, “Gremilins” em apenas um filme. Não se trata de apenas mais um blockbuster que você vai assistir nas tardes de ócio em alguns anoos, mas sim uma boa lembrança de como se faz bom cinema quando se quer. Crianças, bicicletas, enigmas, forças armadas e um bicho esquisito: uma prova de que esta fórmula normalmente funciona nas mãos de quem sabe o que faz.

A Inquilina (2011)

 Daniel Arrieche, Mistério, Suspense  Comentários desativados em A Inquilina (2011)
nov 092011
 

the-resident-blu-ray

Em uma despretensiosa tarde de férias, resolvi que iria ao cinema me divertir. E consegui. “A Inquilina” é um filme tão despretensioso quanto a minha tarde de férias, pois não apresenta nada além de mais do mesmo. Se me perguntarem se é um bom filme, vou responder que sim. Explico: tanto a atuação de Hilary Swank quanto a de Jeffrey Dean Morgan estão impecáveis e o suspense até que tem um clima de medo e apreensão, conseguindo interagir um pouco com o público. Nos primeiros momentos já se sabe quem é o bom, o mau e o feio, não trazendo grandes surpresas. Talvez esteja aí a diferença para outros filmes. O diretor Antti Jokinen até que tenta fazer do limão uma limonada, sacando alguns enquadramentos e takes menos modestos, mas o roteiro não ajuda, e não há sucesso. Apesar do final clichê (algumas pessoas na sala riam) vale o ingresso. Para uma tarde onde não há mais nada de interessante a se fazer, é claro!