nov 142011
 

Pra começar: é muito difícil de desvincular este filme do anterior “Sexo Sem Compromisso”, sendo a mesma temática e enredos extremamente semelhantes. Outra coincidência é termos Natalie Portman e Mila Kunis tentando sair de “Cisne Negro” pela mesma via (ou quase). “Amizade Colorida” consegue não ser clichê rindo da própria desgraça: um filme simples, com uma temática conhecida e com tudo para dar errado… mas não deu. Reforçado pelo merchandising abusivo (mas competente) e a venda de cidades chave americanas de Nova Yorque extremamente “workaholic” e Los Angeles pacífica e hollywoodiana, o filme faz dos extremos a sua qualidade principal. Os relacionamentos e diálogos traduzem uma realidade atual, porém lembrando sempre que a intenção é sempre a mesma: o amor comum. Boas risadas, sorrisos escondidos e – pensamentos sórdidos”.

Sorry, the comment form is closed at this time.